A cada ano os planos de saúde batem um novo recorde de processos. As taxas são exorbitantes, com aumentos repentinos bem acima da inflação, e a cobertura prevista em contrato é recusada. Para investigar tais abusos, Ivan Valente cobrou uma CPI dos Planos de Saúde em 2015, que foi barrada por uma manobra de Eduardo Cunha.

Hoje temos um Ministro da Saúde, Ricardo Barros, que diz que o SUS não cabe no orçamento, priorizando os interesses das seguradoras que financiaram sua eleição. Na Câmara, seu grande aliado é Rogério Marinho, relator de propostas que aliviam as punições às seguradoras, além de permitir a criação de planos de cobertura mínima, sem qualidade alguma.  No projeto inicial de Marinho, havia também a intenção de aumentar a cobrança para clientes acima de 59 anos, o que é inconstitucional. O PSOL participou intensamente da pressão política que conseguiu a retirada deste artigo, aliviando os idosos deste ataque. Agora precisamos continuar lutando até derrotar o relatório completo de Rogério Marinho.

Saúde não é mercadoria!

Notícias Relacionadas