Investigado pela Lava Jato não tem legitimidade para presidir a Câmara

Sobram motivos para que o Congresso Nacional seja mal avaliado pela população, basta acompanhar a proliferação de escândalos de Brasília. Não é com Rodrigo Maia na presidência da Câmara que se poderá recuperar a confiança nos representantes eleitos pelo povo. O PSOL defende o afastamento de cargos de mando na Câmara dos que estiverem com inquérito aberto no STF. Rodrigo Maia (“o Botafogo”) não tem condições de presidir a Câmara, quando estão em pauta as reformas trabalhista e da Previdência. Ele deveria se afastar e se concentrar em sua defesa na Lava Jato. O mesmo vale para presidentes de comissão e relatores, entre eles Arthur Maia, relator da reforma da Previdência.

 

Leia mais na Folha