Não ao distritão e ao fundo bilionário para eleições

O fundo eleitoral que está sendo criado é muito alto: 3,6 bilhões de reais. Nós entendemos que campanha se faz com base em ideias e participação popular, não com rios de dinheiro público.
Além disso, o texto-base aprovado centraliza de maneira absurda a distribuição dos recursos nos partidos oligárquicos.

Para completar, o chamado “distritão” é uma lástima. Ele serve como mecanismo de perpetuação dos atuais deputados, impedindo a renovação.

Precisamos de uma reforma política que fortaleça partidos e projetos políticos, impeça a ingerência do poder econômico na coisa pública e estimule a participação popular.