Não são as empresas que pagam o pato

O valor que as empresas devem em PIS, Cofins e CSLL é mais alto que o déficit da Previdência, com escandalosos R 545 bilhões. Esses impostos deveriam ir para a receita da Seguridade Social, da qual a Previdência faz parte, mas no Brasil o calote é incentivado pelo governo, sempre disposto a renegociar dívidas indeterminadamente.

Quando Temer prefere aumentar o imposto ao mesmo tempo que relaxa a cobrança dos empresários, faz com que o recolhimento se concentre no consumo, pesando mais para quem paga diretamente pela gasolina no posto.

O PSOL não aceita esses abusos e propõe saídas justas para a crise econômica: cobrança dos grandes devedores, taxação de lucros e dividendos, auditoria da dívida pública, redução de juros e fim das isenções bilionárias. Os mais pobres e a classe média não devem pagar o pato, enquanto os grandes empresários fazem a farra.