O trabalho escravo tem que sair da moda!

É ultrajante que continuem aparecendo denúncias de trabalho análogo à escravidão em nossos dias. No universo das marcas de grife, a situação é recorrente, como nos casos da Zara, e agora, da Animale. São jornadas exaustivas em condições degradantes e pagamentos ínfimos, especialmente com mão de obra de imigrantes.

Ao final as peças de roupas são vendidas a R$ 500,00 ou até mais nos shoppings, sendo que o imigrante leva metade do dia para ganhar R$ 5. Muita gente quer pensar apenas no que consumir, mas eis aqui o capitalismo em toda sua crueldade e ganância.

Ao menos conseguimos, com a pressão popular, derrotar a portaria de Temer que buscava fragilizar a fiscalização do trabalho escravo. O governo corrupto que usurpou o poder quer naturalizar a opressão máxima, mas há luta por dignidade humana. Os exploradores não podem sair ilesos!