Reforma da previdência

A reforma da Previdência foi apresentada como um dos pilares do governo Temer para atender ao interesse do mercado, em especial do setor financeiro, ávido em ampliar a venda de planos de previdência privada.

Com a justificativa de combater um suposto déficit da previdência e corrigir distorções, a proposta da reforma na verdade atinge, sim, os mais pobres e as mulheres. O governo, por meio de uma campanha publicitária milionária demoniza os servidores públicos e tenta vender a ideia de que a reforma atacaria privilegiados, mas ela atinge em cheio o trabalhador comum, inclusive da iniciativa privada, que recebe um pouco mais do que um salário mínimo e terá que contribuir por 40 anos para ter a aposentadoria integral.

A maioria esmagadora da população brasileira se coloca contra a Reforma: segundo pesquisa DataFolha, 87% da população é contra.

O deputado Ivan Valente fez parte da Comissão Especial da Reforma da Previdência na Câmara dos Deputados, sendo uma das principais vozes de oposição ao projeto. O PSOL apresentou uma Emenda para que a PEC, uma vez aprovada pelo Congresso, passasse por um referendo popular, uma vez que se trata de uma medida radical que mexe com os direitos da maioria do povo brasileiro, mas a proposta foi rejeitada. Seguimos na oposição à Reforma da Previdência no Congresso e nas ruas.

Notícias Relacionadas